A série também está no YouTube.

Entre os compositores “da cidade” (brancos de classe média) que abraçaram o samba criado no bairro do Estácio, João Máximo destaca neste episódio Ary Barroso, mineiro de Ubá, e Noel Rosa, carioca de Vila Isabel. Com eles é possível acompanhar o alcance que a música popular (e não só o samba) conquistou na década de 1930. Do retrato-exaltação de No tabuleiro da baiana à visão corrosiva de Quem dá mais?, o país foi inspiração para esses dois autores.

Mais músicas lançadas em discos em 78 rotações por minuto estão no site Discografia Brasileira, do Instituto Moreira Salles.

Repertório

Faceira (Ary Barroso) – Sílvio Caldas – 1931

No rancho fundo (Ary Barroso e Lamartine Babo) – Elisa Coelho e Ary Barroso (piano) – 1931

No tabuleiro da baiana (Ary Barroso) – Carmen Miranda e Luiz Barbosa – 1936

Com que roupa? (Noel Rosa) – Noel Rosa – 1930

Para me livrar do mal (Noel Rosa e Ismael Silva) – Francisco Alves – 1932

Quem dá mais? (Noel Rosa) – Noel Rosa – 1932

Caco velho (Ary Barroso) – Elisa Coelho e Ary Barroso (piano) – 1934

João Ninguém (Noel Rosa) – Noel Rosa – 1935

Mulato bamba (Noel Rosa) – Mario Reis – 1932

Estrela da manhã (Noel Rosa, Ary Barroso e Francisco Alves) – Francisco Alves e Madelou Assis – 1933

Conversa de botequim (Noel Rosa e Vadico) – Noel Rosa – 1935

Na virada da montanha (Ary Barroso e Lamartine Babo) – Francisco Alves – 1935

Na batucada da vida (Ary Barroso e Luiz Peixoto) – Carmen Miranda – 1934

Nuvem que passou (Noel Rosa) – Francisco Alves – 1932

 

Roteiro e apresentação: João Máximo

Edição: Filipe Di Castro