Era uma brasa, mora, a Jovem Guarda que a Rádio Batuta apresenta como segundo capítulo do documentário de Joaquim Ferreira dos Santos sobre o rock no Brasil. O movimento, comandado por Roberto e Erasmo Carlos, mais Wanderléa, diretamente de um programa dominical de TV, esteve no ar entre 1965 e 1968. Foi a beatlemania brasileira. Ainda tratava do “namorinho de portão”, mas já se avançava no comportamento da geração anterior, do “lacinho cor de rosa” de Cely Campelo. O rock brasileiro começava a ficar com “cara de bandido”, como diria mais adiante Rita Lee. Joaquim entrevista no estúdio da Rádio Batuta o pesquisador Ricardo Pugialli, autor de livros sobre a Jovem Guarda.

As músicas podem ser ouvidas nos dois blocos do programa ou isoladamente.

 

Bloco 1
O lobo mau (Ernest Mareska/ versão: Hamilton Di Giorgio) – Erasmo Carlos e Renato e Seus Blue Caps
Pega ladrão (Getúlio Cortes) – Roberto Carlos
Erva venenosa (Jerry Leiber e Mike Stoller/ versão: Rossini Pinto) – Golden Boys
É papo firme (Renato Corrêa e Donaldson Gonçalves) – Roberto Carlos
Garota do Roberto (Carlos Imperial e Eduardo Araújo) – Waldirene

Bloco 2
Doce de coco (Wanderley Cardoso e Cláudio Fontana) – Wanderley Cardoso
Doce, doce amor (Mauro Motta e Raulzito) – Jerry Adriani
Era um garoto que como eu (Lusin e Migliacci, versão de Bracato Júnior) – Os Incríveis
Cabelos longos, ideias curtas (Thibaut e Johnny Hallyday, versão de Fred Jorge) – The Brazilian Bitles
Não vou ficar (Tim Maia) – Roberto Carlos

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos
Entrevistado: Ricardo Pugialli
Edição e sonorização: Filipe Di Castro