Capítulo 3 – Europa: cabaré, chansoniers, cantautori

Depois de um episódio dedicado aos EUA, Roberto Muggiati situa na Europa a terceira etapa de seu documentário sobre músicas de contestação. Ele selecionou uma série de canções feitas contras guerras e ditaduras do século XX (e XXI, no caso da dupla Pussy Riot). Elas vêm de Portugal, Espanha, França, Itália, Alemanha e Rússia.

Roteiro 

Abertura do capítulo

Seerauber Jenny (Kurt Weill e Bertolt Brecht) – Lotte Lenya

Geni e o zepelim (Chico Buarque) – Letícia Sabatella

Barbara (Joseph Kosma e Jacques Prevert) – Yves Montand

A tout casser (Dim dam dom) (Johnny Haliday) – Johnny Haliday

Les anarchistes (Leo Ferré) – Leo Ferré

C'era un ragazzo che come me amava i Beatles e i Rolling Stones (Marco Lusini e Franco Migliacci) – Gianni Morandi

Borghesia (Claudio Lolli) – Claudio Lolli

Canzone del maggio (Fabrizio de André) – Fabrizio de André

Eppure Sóffia (Pierangelo Bertoli) – Pierangelo Bertoli

Al alba (Luis Eduardo Aute) – Rosa León

Para la libertad (Joan Manuel Serrat e Miguel Hernandez Gilabert) – Joan Manuel Serrat  

Habla, pueblo, habla (Vino Tinto) – Vino Tinto

Touche pas à mon pote (Alain Bashung) – Alain Bashung

Qu'est ce qu'on se fait chier (Les Têtes Raides) – Les Têtes Raides 

Novos-pobres (Pedro Abrunhosa) – Pedro Abrunhosa

Macht kaputt was euch kaputt macht (Rio Reiser) – Ton Steine Scherben

Kristallnacht (Bap) – Bap

Your dad is fascist (Mikhail Borzykin) – Televizor

I can't breath (Pussy Riot) – Pussy Riot

 

Concepção, roteiro e apresentação: Roberto Muggiati

Edição e sonorização: Filipe Di Castro