A Festa da Penha, no mês de outubro, é um dos eventos mais tradicionais do calendário cultural-religioso do Rio de Janeiro. Está um pouco esvaziada, mas continua levando multidões suburbanas ao seu altar e também ao seu pátio. Aqui, no sopé da escadaria, no início do século passado, reuniam-se os artistas que estavam inventando o samba na Pequena Africa, como eram chamados os bairros de Saúde, Gamboa e Cidade Nova. A Penha era o primeiro palco ao ar livre dessa turma, que revolucionaria a música brasileira. A polícia reprimia, mas, sob a proteção da padroeira, a cultura venceu.

Repertório

Baião da Penha (David Nasser e Guio de Moraes) – Caetano Veloso

Viva a Penha (Sinhô) – Januário de Oliveira e a Jazz Band Columbia

Festa da Penha (Cartola e Adalberto de Souza) – Ary Cordovil

Feitio de Oração (Noel Rosa e Vadico) – Aracy de Almeida

Escadas da Penha (João Bosco e Aldir Blanc) – João Bosco

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro