O centenário de Lupicínio Rodrigues, neste 16 de setembro, mostra que sua obra, não mais que uma centena de canções, continua sendo atualizada pelas novas gerações. Recentemente, Arrigo Barnabé lançou um CD e DVD, intitulado Caixa de ódio, apenas com obras do compositor gaúcho. Arnaldo Antunes, também ligado à vanguarda paulista, regravou não faz muito tempo a violenta Judiaria (“Eu estou lhe mostrando a porta da rua, para que você saia sem eu lhe bater”) em ritmo de rock pesado.

Lupi escreveu raras canções que poderiam ser chamadas de alegres (entre elas o hino do Grêmio, Felicidade, que Caetano Veloso gravou nos anos 1970, e Se acaso você chegasse). Este especial, com roteiro e apresentação de Joaquim Ferreira dos Santos, trata apenas das canções em que Lupicínio, traído, dá o troco naquela que o abandonou. São letras que ficariam para sempre entre o tesouro da música de dor de cotovelo. Aqui, elas são cantadas por grandes representantes do gênero, cantores como Jamelão e Dalva de Oliveira.

Músicas

Caixa de ódio (Lupicínio Rodrigues) – Arrigo Barnabé

Judiaria (Lupicínio Rodrigues) – Arnaldo Antunes

Loucura (Lupicínio Rodrigues) – Lupicínio Rodrigues

Pra São João Decidir (Lupicínio Rodrigues/Francisco Alves) – Francisco Alves

Vingança (Lupicínio Rodrigues) – Linda Batista

Nunca (Lupicínio Rodrigues) – Jamelão

Esses moços (Lupicínio Rodrigues) – Gilberto Gil

Quem há de dizer (Lupicínio Rodrigues/Alcides Gonçalves) – Jamelão

Sozinha (Lupicínio Rodrigues) – Roberto Ribeiro

Nervos de aço (Lupicínio Rodrigues) – Paulinho da Viola

Há um deus (Lupicínio Rodrigues) – Dalva de Oliveira

 

Roteiro e apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro