Nelson Gonçalves, cujo centenário de nascimento se completa em 21 de junho de 2019, deixou gravadas 869 músicas, um número só superado por Francisco Alves. Muitos críticos querem que ele esteja na tradicional lista que elenca o próprio Chico e mais Orlando Silva, Carlos Galhardo e Silvio Caldas como os reis da voz da música brasileira. Ao mesmo tempo que tinha um vozeirão, como Chico, gostava de adorná-lo com efeitos graciosos, como Orlando. O resultado é próprio, uma voz viril que interpretava clássicos inspirados no ambiente macho nacional.

Nascido no Rio Grande do Sul, Nelson é filho de portugueses pobres e teve uma carreira ao mesmo tempo espetacular e trágica. Em 1953, com a decadência de Orlando, vítima das drogas, e a morte no ano anterior de Chico, ele era o grande ídolo nacional, com cachês incríveis. Perdeu tudo em jogo, vícios diversos e mulheres. São histórias reais a que foram sendo agregadas lendas urbanas. Neste programa, ouvindo inclusive um biógrafo do cantor, Joaquim Ferreira dos Santos conta o que é verdade e o que é mentira deste ídolo nacional, e apresenta dez canções fundamentais.
Todas as músicas do programa são interpretadas por Nelson Gonçalves.

Repertório

Meu vício é você (Adelino Moreira)

Sinto-me bem (Ataulfo Alves)

Renúncia (Roberto Martins e Mário Rossi)

Normalista (Benedito Lacerda e David Nasser)

A camisola do dia (Herivelto Martins e David Nasser)

Carlos Gardel (Herivelto Martins e David Nasser)

Hoje quem paga sou eu (Herivelto Martins e David Nasser)

Fica comigo esta noite (Adelino Moreira e Nelson Gonçalves)

A volta do boêmio (Adelino Moreira)

Negue (Adelino Moreira e Enzo de Almeida Passos)

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro