O festival de Woodstock, realizado entre 15 e 18 de agosto de 1969, foi pensado inicialmente para protestar contra a guerra do Vietnã. Acabou chamando a atenção do mundo para a geração hippie com seus valores de paz, amor livre, drogas e um novo tipo de rock and roll. Não mais o pop inglês, que através dos Beatles tinha influenciado a música de toda a década. Chegava a vez de uma música angustiada – e o canto de Janis Joplin prova isso. Uma música dilacerada tentando reproduzir o efeito das drogas psicodélicas – e a guitarra distorcida de Jimi Hendrix foi a marca mais evidente.

Neste programa, que lembra os 50 anos do festival, Joaquim Ferreira dos Santos mostra os ecos de Woodstock no Brasil. Ele entrevista o pesquisador Nélio Rodrigues, o crítico musical Pedro Só e o filósofo Pedro Duarte, que mapeiam as consequências dos shows e posteriormente do filme na obra de artistas como Caetano Veloso, Lanny Gordin, Os Mutantes, Gal Costa, Raul Seixas, Novos Baianos e outros.
O IMS Paulista realiza, nas quartas-feiras de agosto, uma série de quatro aulas (independentes entre si) intitulada “Woodstock, 50 anos – O festival, seu contexto e legado na música, na literatura e no cinema”.
O filme “Woodstock – 3 dias de paz, amor e música”, de 1970, terá duas sessões no IMS Paulista, nos dias 18 e 29 de agosto.
Repertório
Hey, Joe (Billy Roberts) – Jimi Hendrix
Marinheiro só (domínio público, adaptação de Caetano Veloso) – Caetano Veloso
Ando meio desligado (Arnaldo Baptista, Rita Lee e Sergio Dias) – Os Mutantes
Piece of my heart (Jerry Ragovoy e Bert Berns) – Janis Joplin
Dê um rolê (Moraes Moreira e Luiz Galvão) – Gal Costa
Ferro na boneca (Moraes Moreira e Luiz Galvão) – Novos Baianos
Tinindo trincando (Moraes Moreira e Luiz Galvão) – Novos Baianos
É só curtir (Arnaldo Brandão e Pedro Lima) – A Bolha
Prece cósmica (João Ricardo e Cassiano Ricardo) – Secos e Molhados
Sociedade alternativa (Raul Seixas e Paulo Coelho) – Raul Seixas
O sonho acabou (Gilberto Gil) – Gilberto Gil
Roteiro e apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos
Edição: Filipe Di Castro