O ano de 1951 foi marcado pela posse de Getúlio Vargas na presidência da República no dia 31 de janeiro. Era o início do segundo período governado pelo líder gaúcho. O primeiro foi entre 1930 e 1945. O segundo, para o qual foi eleito por voto direto, foi de 1951 até 24 de agosto de 1954, quando se suicidou no Palácio do Catete. A volta ao poder de Getúlio serviu de inspiração para Haroldo Lobo e Marino Pinto fazerem a marcha Retrato do velho, um dos maiores sucessos musicais de 1951. A prática instituída pelo Estado Novo, e revigorada por governos posteriores, recomendava a colocação de retratos do presidente nas paredes das repartições públicas. Em 1945, com a saída de Vargas da presidência, saíram também os retratos. Mas, com sua vitória na eleição de 1950, surgiu a ideia para a marchinha na qual a volta do líder ao poder é simbolizada pela volta dos retratos às paredes.

Bloco 1
Retrato do velho (Haroldo Lobo e Marino Pinto) – Francisco Alves
Marcha do caracol (Peterpan e Afonso Teixeira) – Quatro Ases e um Coringa
Papai Adão (Klecius Caldas e Armando Cavalcanti) – Blecaute com acompanhamento de Severino Araújo e Orquestra Tabajara
Zum-Zum (Fernando Lobo e Paulo Soledade) – Dalva de Oliveira com acompanhamento de Osvaldo Borba e orquestra
Tomara que chova (Paquito e Romeu Gentil) – Emilinha Borba com acompanhamento de Guio de Morais e Parentes

Bloco 2
Calúnia (Marino Pinto e Paulo Soledade) – Dalva de Oliveira com acompanhamento de Osvaldo Borba e orquestra
Ave Maria (Vicente Paiva e Jaime Redondo) – Dalva de Oliveira
Palhaço (Nelson Cavaquinho, Osvaldo Martins e Washington Fernandes) – Dalva de Oliveira com acompanhamento de Osvaldo Borba e orquestra
Vingança (Lupicínio Rodrigues) – Linda Batista

Bloco 3
Delicado (Valdir Azevedo) – Valdir Azevedo
Pedacinho do céu (Valdir Azevedo) – Valdir Azevedo
Bicharada (Djalma Ferreira) – Djalma Ferreira e Milionários do Ritmo

Bloco 4
Canção de amor (Chocolate e Elano de Paula) – Elizeth Cardoso
Meu sonho é você (Altamiro Carrilho e Átila Nunes) – Orlando Correia com acompanhamento de Copinha e orquestra
Violões em funeral (Sílvio Caldas e Sebastião Fonseca) – Sílvio Caldas
Se você se importasse (Peterpan) – Dóris Monteiro

Bloco 5
Esta noite serenô (Hervé Cordovil) – Carmélia Alves
Boiadeiro (Armando Cavalcanti e Klecius Caldas) – Luiz Gonzaga
Estrada do Canindé (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) – Luiz Gonzaga
Baião de Copacabana (Lúcio Alves e Haroldo Barbosa) – Alcides Gerardi

Bloco 6
Sabes mentir (Oton Russo) – Ângela Maria
Não tenho você (Paulo Marques e Ari Monteiro) – Ângela Maria
Cosme e Damião (Roberto Martins e Ari Monteiro) – Gilberto Alves
Beijinho doce (Nhô Pai) – Adelaide Chiozzo e Eliana

Bloco 7
Ministério da Economia (Geraldo Pereira e Arnaldo Passos) – Geraldo Pereira
Pra seu governo (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira) – Gilberto Milfont
Tome polca (José Maria de Abreu e Luiz Peixoto) – Marlene
Sapato de pobre (Luís Antônio e Jota Júnior) – Marlene com acompanhamento de Severino Araújo e Orquestra Tabajara
Madalena (Ari Macedo e Airton Amorim) – Linda Batista

 

Baseado no livro “A canção no tempo”, de Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello
Adaptação, pesquisa e texto: Carla Paes Leme
Locução: Cláudia Diniz
Edição e sonorização: Filipe Di Castro
Supervisão: Paulo da Costa e Silva