O ano de 1959 começou com a entrada de Fidel Castro e as forças revolucionárias em Havana no dia oito de janeiro. Era a vitória da Revolução Cubana. Já no campo musical, a revolução era feita pela Bossa Nova com o lançamento de Desafinado, em fevereiro do mesmo ano. A música já mostrava tudo o que o movimento oferecia de inovador e revolucionário: o canto intimista, a letra sintética, despojada, o emprego de acordes alterados e, sobretudo, um extraordinário jogo rítmico entre o violão, a bateria e a voz do cantor: João Gilberto.  

Bloco 1
Desafinado (Antônio Carlos Jobim e Newton Mendonça) – João Gilberto
Ho-ba-la-lá (João Gilberto) – João Gilberto bolero
Lobo bobo (Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli) – João Gilberto

Bloco 2
Eu sei que vou te amar (Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes) – Elza Laranjeira
Ideias erradas (Ribamar e Dolores Duran) – Lucio Alves
Fim de caso (Dolores Duran) – Dolores Duran
A noite do meu bem (Dolores Duran) – Dolores Duran

Bloco 3
O samba é bom assim (Norival Reis e Hélio Nascimento) – Jamelão
Ela disse-me assim (Lupicínio Rodrigues) – Jamelão
Deusa do asfalto (Adelino Moreira) – Nelson Gonçalves
Êxtase (Adelino Moreira e Nelson Gonçalves) – Nelson Gonçalves
Quero beijar-te as mãos (Arsênio de Carvalho e Lourival Faissal) – Anísio Silva

Bloco 4
Recado (Luiz Antônio e Djalma Ferreira) – Maysa
Lamento (Djalma Ferreira e Luís Antônio) – Os Vocalistas Modernos
Vai, mas vai mesmo (Ataulfo Alves) – Nora Ney
Brigas nunca mais (Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes) – Marlene

Bloco 5
Manhã de carnaval (Luís Bonfá e Antônio Maria) – Agostinho dos Santos
Samba de Orfeu (Luís Bonfá e Antônio Maria) – Pery Ribeiro
A felicidade (Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes) – Agostinho dos Santos

Bloco 6
Dindi (Antônio Carlos Jobim e Aloísio de Oliveira) – Sílvia Teles 
Maria Ninguém (Carlos Lyra) – Carlos Lyra
Este seu olhar (Antônio Carlos Jobim) – Luiz Cláudio
Quem é (Osmar Navarro e Oldemar Magalhães) – Trio Nagô

Bloco 7
Chiclete com banana (Gordurinha e Almira Castilho) – Jackson do Pandeiro
Baiano burro nasce morto (Gordurinha) – Gordurinha

 

Baseado no livro “A canção no tempo”, de Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello.
Adaptação, pesquisa e texto: Carla Paes Leme
Locução: Gláucia Araújo
Sonorização e edição: Filipe Di Castro