Arthur Dapieve explica a tradição dos contratenores, homens que, graças ao uso do falsete, têm vozes equivalentes às de cantoras soprano, meio-soprano ou contralto. São chamadas de vozes de anjos. A maior parte das peças compostas para eles vem dos períodos renascentista e barroco, quando as mulheres não podiam cantar nas igrejas. No século XX, houve um renascimento dos contratenores, a começar pelos britânicos, caso de Alfred Deller. Dapieve ainda apresenta outros cantores que fazem sucesso, hoje, como o alemão Andreas Scholl e o francês Philippe Jaroussky.

Músicas

Pandolpho (Robert Parsons) – Alfred Deller e Desmond Dupré, no lute (7:23)

Music for a while (Henry Purcell) – Andreas Scholl e a Accademia Bizantina, sob a regência de Stefano Montanari (4:14)

Confitebor tibi, Domin (Claudio Monteverdi) – René Jacobs e o Concerto Vocale (8:12)

T’abraccio, mia Diva… Ti stringo, mio Nume (Agostino Steffani) – Philippe Jaroussky, Cecilia Bartoli e I Barochisti, sob a regência de Diego Fasolis (2:42)

Venti, turbini, prestate le vostre ali a questo piè (Handel) – David Daniels e a Academy of Ancient Music, sob a regência de Christopher Hogwood (3:40)

 

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição e sonorização: Filipe Di Castro