A exposição Conflitos, que esteve nas sedes do IMS em 2017 e 2018, buscou desmontar a ideia, que não se ampara na realidade, de um país pacífico. Consultoras da mostra e participantes do livro que a acompanhou, a socióloga Angela Alonso (USP) e a historiadora e cientista política Heloisa Starling (UFMG) reforçaram a proposta na mesa “Brasil de conflito em conflito”, na Casa do IMS. Segundo Alonso, na história brasileira “a gente encontra pólvora e sangue”. E o assunto foi atualizado para 2019. “Eu tenho a sensação de um país caindo em pedaços”, afirma Starling. A conversa foi mediada por Heloisa Espada, curadora de Conflitos.