No disco Tristeza on guitar, lançado na Alemanha, Baden Powell disse que preferia ser reconhecido como compositor do que como violonista. Reinaldo Figueiredo aproveita o desejo do artista e, após mostrar seu talento único interpretando um standard do jazz, mostra como suas músicas se tornaram standards do jazz brasileiro. Entre os instrumentistas que interpretam as faixas estão seus filhos Marcel Powell e Phillipe Baden Powell.

Baden, cujo acervo pessoal se encontra no IMS, morreu há 20 anos, em 26 de setembro de 2000.

Repertório

‘Round midnight (Thelonious Monk) – Baden Powell

Samba triste (Baden Powell e Billy Blanco) – Eliane Elias

Berimbau (Baden Powell e Vinicius de Moraes) – Manfredo Fest e Claudio Roditi

Só por amor (Baden Powell e Vinicius de Moraes) – Antonio Adolfo

Canto de Yemanjá (Baden Powell e Vinicius de Moraes) – Alexandre Caldi e Itamar Assiere

Vou deitar e rolar (Baden Powell e Paulo César Pinheiro) – Sérgio Galvão

Canto de Ossanha (Baden Powell e Vinicius de Moraes) – Marcel Powell e Armandinho Macêdo

Alodê (Baden Powell) – Philippe Baden Powell e Mario Adnet

Baden blues (Baden Powell) – Ludere

 

A volta ao jazz em 80 mundos também é apresentado no terceiro sábado de cada mês, às 20h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Reinaldo Figueiredo

Edição: Filipe Di Castro