No curso Remetente/Destinatário, realizado no IMS-RJ, Samuel Titan Jr. analisou em 3 de junho as célebres Cartas portuguesas, que ele mesmo traduziu do francês para o português. Professor de teoria literária e literatura comparada da USP e coordenador executivo do IMS, Titan mostra o porquê de as cinco cartas publicadas em 1669 sem autoria assinalada serem reconhecidas (por Stendhal, Rilke e muitos outros) como um dos maiores momentos da literatura amorosa. Atribuídas em 1810 a uma freira portuguesa chamada Mariana Alcoforado, que seria apaixonada por um oficial francês de nome Noël Bouton de Chamily, as cartas devem ter sido escritas por Gabriel Joseph de Lavergne, diplomata, jornalista e escritor francês. A controvérsia em torno da autoria contribuiu para o interesse permanente pela obra.

Observação: a voz feminina que aparece no início da palestra é de Elvia Bezerra, coordenadora de literatura do IMS.

 

Palestra: Samuel Titan Jr.

Edição: Filipe Di Castro