Ricardo e Vânia (Todavia) figura nas listas dos melhores lançamentos de 2019. A reportagem de Chico Felitti, como ele explicou na entrevista ao jornalista e editor Flávio Moura na Casa do IMS na Flip, alia investigação minuciosa a aproximação afetiva com os protagonistas.

Felitti tinha 17 anos quando se interessou pela história de Ricardo Correa da Silva, cabeleireiro e artista conhecido em São Paulo, pejorativamente, como Fofão da Augusta. O jornalista levou 13 anos para conseguir a primeira entrevista. Quando publicou a história no site BuzzFeed, o sucesso foi inesperado e muito grande. Mas o livro saiu após outra descoberta: de Vânia, ex-Vágner, grande amor de Ricardo e que se radicou em Paris. Graças ao repórter, eles se reencontraram por Skype. Pouco depois, Ricardo morreu.

Da conversa com Moura, em que se falou dessa história, participa a mãe do repórter, Isabel, que colaborou intensamente na apuração. Felitti aproveitou para falar de outros projetos, como um dedicado a João de Deus, que foi preso por abusos sexuais após décadas atuando como médium.