Neste programa, Arthur Dapieve fala de três compositores italianos que tiveram, de alguma forma, suas obras associadas ao Diabo: Carlo Gesualdo da Venosa, Giuseppe Tartini e Niccolò Paganini. O nobre Gesualdo matou a primeira mulher e o amante depois de flagrá-los na cama, expondo seus corpos mutilados diante de seu palácio. Das lendas em torno de sua vida, estão o assassinato de um filho bebê e relações sexuais com mulheres acusadas de bruxaria. Tartini compôs uma peça que ficou conhecida como “a sonata do diabo”, por causa de sua inspiração: ele dizia que havia sonhado que o Capeta em pessoa tinha lhe aparecido e proposto a compra de sua alma. De Paganini dizia-se que só podia ter parte com o Diabo para tocar violino de modo tão extraordinário. A conjunção entre sua arte, sua aparência e seu estilo de vida extravagante o tornaram um dos primeiros pop stars da história.

Repertório

De Carlos Gesualdo de Venosa, com interpretação do conjunto Delitiae Musicae, dirigido por Marco Longhini:

Moro, lasso, al mio duolo (5:43)
Vollan quase farfalle (3:17)
Al mio gioir il ciel si fa sereno (2:44)

De Giuseppe Tartini, com Andrew Manze:

La sonata del Diavolo – Allegro (6:06)

De Niccolò Paganini, com Julia Fischer:

Capricho Nº 13 em Si bemol maior (2:27)
Capricho Nº 22 em Fá maior (2:48)
Capricho Nº 23 em Mi bemol maior (4:44)
Capricho Nº 24 em lá menor (4:28)

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição e sonorização: Filipe Di Castro