Cyro Monteiro não foi apenas um intérprete. Com um jeito coloquial e suingado de cantar, emprestou sua originalidade às canções que gravou e, assim, participou ativamente das transformações pelas quais o samba passou na década de 1940. “Cyro Monteiro – o intérprete como autor” é o tema do Tubo de Ensaio que a pesquisadora musical e professora da UFF Cláudia Neiva de Matos preparou para a Rádio Batuta: “Balanço, babado e bossa”.
Sobre a autora

Cláudia Neiva de Matos é professora da Universidade Federal Fluminense e autora do livro  “Acertei no milhar; samba e malandragem no tempo de Getúlio” (RJ: Paz e Terra, 1982).

 

Apresentação: Cláudia Neiva de Matos
Edição: Filipe di Castro
Sonorização: Filipe di Castro e Cláudia Neiva de Matos
Supervisão: Paulo da Costa e Silva