Os anos de 1911 a 1916 foram anos de transição. O período assistiu a mudanças nos costumes, guerra, progressos tecnológicos e científicos. Foi em 1911, por exemplo, que o neozelandês Ernest Rutherford, o alemão Hans Geiser e o inglês Ernest Marsden desvendaram a estrutura do átomo.

Bloco 1
Dor suprema (J.F.de Almeida) – Bahiano
Sorrir dormindo (Juca Kalut) – Banda da Casa Edison

Bloco 2
Flor do mal (Santos Coelho e Domingos Correia) – Vicente Celestino
Amor ingrato (Neco, pseudônimo de Manoel Ferreira Capellani) – Neco
Ameno Resedá (Ernesto Nazareth) – Grupo Resedá
Pudesse essa paixão (Chiquinha Gonzaga) – Grupo Chiquinha Gonzaga

Bloco 3
Subindo ao céu (Aristides Borges) – Dante Santoro
Lágrimas e risos (Eustórgio Wanderley e A. Tavares) – Bahiano
Saudades de Iguape (João Batptista Nascimento) – Grupo dos Irmãos Baptista
Cabocla de Caxangá (Catulo da Paixão Cearense) – Eduardo das Neves

Bloco 4
Luar do sertão (Catulo da Paixão Cearense) – Eudardo das Neves
São Paulo Futuro (Marcelo Tupinambá e Danton Vampré) – Bahiano
Moleque vagabundo (Louro) – Grupo Odeon
Urubu malandro (Samba do Urubu) (autor desconhecido) – Banda da Casa Edison

Bloco 5
Apanhei-te cavaquinho (Ernesto Nazareth) – Grupo O Passos no Choro
Flor do Abacate (Álvaro Sandim) – Chorosos do Abacate
Os que sofrem (Alfredo Gama e Armando Oliveira) – Vicente Celestino
Pierrô e colombina (Osar Almeida) – Grupo Carioca

Bloco 6
O meu boi morreu (autor desconhecido) – Bahiano e Eduardo das Neves
Baseado no livro “A canção no tempo”, de Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello
Adaptação, pesquisa e texto: Carla Paes Leme
Locução: Cláudia Diniz
Sonorização: Filipe Di Castro
Edição: Carla Paes Leme e Filipe Di Castro
Supervisão: Francisco Bosco