O homenageado neste programa da série Os Batutas foi engraxate, vendedor de jornal, operário, tocador de tamborim e cavaquinho, até se tornar o cantor das músicas de “dor de cotovelo” e nosso maior intérprete de samba-enredo. O dia 12 de maio de 2013 marca seu centenário. Vamos conhecer mais sobre a vida e a obra do grande artista que nasceu José Bispo Clementino dos Santos e se consagrou como Jamelão.

 
Bloco 1
Folha morta (Ary Barroso) – com acompanhamento de Severino Araújo e Orquestra Tabajara
Meu barracão de zinco (Jair Costa e José Bispo/Jamelão)
Perdi você (Jamelão e Norival Reis)
Piano na Mangueira (Tom Jobim e Chico Buarque)
 
Bloco 2
A jiboia comeu (Antenógenes Silva e J. Correia da Silva)
Pensando nela (Antenógenes Silva e Irani de Oliveira)
Qual o quê! (Jamelão)
 
Bloco 3
Exaltação à Mangueira (Enéas Brittes da Silva e Aloísio Augusto da Costa)
Leviana (Zé Kéti)
Dengosa (Raul Marques e Estanislau Silva) – com acompanhamento do maestro Severino Araújo e da Orquestra Tabajara
Corínthians, campeão do centenário (Billy Blanco) – com acompanhamento de Vadico e conjunto regional
Oração de um rubro-negro (Billy Blanco) – com acompanhamento de Vadico e conjunto regional
 
Bloco 4
Ela disse-me assim (Lupicínio Rodrigues) 
Esses moços (Pobres moços) (Lupicínio Rodrigues)
Grande Deus (Cartola)
Apoteose ao samba (Mano Décio e Silas de Oliveira) 
Cântico à natureza (Jamelão, Nelson Sargento e Alfredo Lourenço)
 
Bloco 5
Vingança (Lupicínio Rodrigues) – com acompanhamento do maestro Severino Araújo e da Orquestra Tabajara
Cuidado, moço (José Bispo* e Matinada)
A vida é isto (José Bispo*)
Sincera (Tito Madi)
Matriz ou filial (Lúcio Cardim)
 
Bloco 6
Nem eu (Dorival Caymmi)
Risque (Ary Barroso)
Nunca (Lupicínio Rodrigues)
Volta (Lupicínio Rodrigues)
 
Bloco 7
Eu agora sou feliz (Jamelão e Mestre Gato)
 
 
 
* José Bispo é o nome de batismo de Jamelão.
 
 
Créditos
Pesquisa e texto: Carla Paes Leme
Locução: Cláudia Diniz
Sonorização e edição: Filipe Di Castro