Ele já tem a mistura no sangue: pai de família austríaca, mãe de família etíope. Surgiu para a música apresentando uma combinação originalíssima de blues, rock, soul, samba e muito mais. Desde aquele primeiro momento (1963), com o disco ousadamente chamado Samba esquema novo, Jorge Ben encontrou seu lugar único na música brasileira. Trocou depois o nome artístico para Jorge Ben Jor, mas continuou fazendo o público dançar, aqui ou no exterior, como prova o sucesso atemporal Mas que nada, logo a primeira faixa do disco de estreia. 

Músicas

Mas que nada (Jorge Ben Jor) – Jorge Ben Jor

Chove chuva (Jorge Ben Jor) – Jorge Ben Jor

País tropical (Jorge Ben Jor) – Wilson Simonal

A minha menina (Jorge Ben Jor) – Os Mutantes

Hermes Trismegisto e sua celeste tábua de esmeralda (Jorge Ben Jor) – Jorge Ben Jor

W/Brasil (Jorge Ben Jor) – Jorge Ben Jor

Zumbi (Jorge Ben Jor) – Jorge Ben Jor

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna (com Débora Freitas, da CBN)

Roteiro: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro