O primeiro grande sucesso de Orlando Silva nasceu como uma valsa de 12 versos, formada por duas sextilhas. Seu autor, Leonel Azevedo, achou que a música merecia uma segunda parte e a encomendou ao amigo J. Cascata. Lábios que beijei despontou como obra de rara harmonia, como se as duas partes não tivessem sido compostas em momentos diferentes por artistas diferentes. Com arranjo de Radamés Gnattali, tornou-se um clássico na voz de Orlando.

 

Apresentação: João Máximo

Edição e sonorização: Filipe Di Castro