Como tinham concorrido na Portela, Manu da Cuíca e Luiz Carlos Máximo foram impedidos de assinar o samba com o qual a Mangueira se tornou campeã em 2019. Após a vitória, todos ficaram sabendo que os dois estavam por trás de uma música que já é histórica: ousada como criação artística e como peça política, especialmente por citar Marielle Franco, a vereadora assassinada em 14 de março de 2018. O samba entrou para o repertório de Maria Bethânia, foi entoado em manifestações e não para de ser interpretado em vários formatos.

Agora devidamente identificados, Manu e Luiz Carlos são os autores da composição que a Mangueira escolheu para buscar o bicampeonato. A escola decidiu cortar dois versos da letra alegando que vai facilitar o canto dos componentes durante o desfile. Nesta entrevista a Luiz Fernando Vianna, a dupla explica por que aprovou a mudança, conta como foi recebida na Mangueira (Luiz Carlos vencera cinco vezes a disputa na Portela) e comentam seus outros trabalhos. Manu, por exemplo, é letrista de todas as faixas do CD Rueira, de Marina Íris, tema de outro programa da Batuta.

Repertório

A verdade vos fará livre – samba-enredo da Mangueira no carnaval de 2020, versões original e definitiva (Luiz Carlos Máximo e Manu da Cuíca) – Marquinho Art’samba, coro e bateria

História para ninar gente grande – samba-enredo da Mangueira no carnaval de 2019 (Luiz Carlos Máximo, Manu da Cuíca, Deivid Domênico, Tomaz Miranda, Mama, Marcio Bola, Ronie Oliveira e Danilo Firmino) – Marquinho Art’samba, coro e bateria

Ponto de cruz (Rodrigo Lessa e Manu da Cuíca) – Marina Íris

Panos e planos (Moyseis Marques e Luiz Carlos Máximo) – Moyseis Marques

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna

Edição: Filipe Di Castro

Vídeo: Nathália Dias