Na tradição da música sacra, uma mesma letra pode inspirar várias composições. É o que acontece com o Stabat mater, assim chamado por conta das duas primeiras palavras do primeiro verso, “Stabat mater dolorosa”, que podem ser traduzidas livremente para “em dor, a mãe estava”. Este hino católico do século XIII se refere às dores de Maria, postada ao pé da cruz onde Cristo agoniza. Sua autoria é atribuída ora a Jacopone da Todi, um frei franciscano, ora ao papa Inocêncio III.

Arthur Dapieve selecionou versões de quatro compositores italianos: Agostino Steffani (1654-1728), Antonio Vivaldi (1678-1741), Giovanni Battista Pergolesi (1710-1736) e Giochino Rossini (1792-1868). O programa termina com dois outros movimentos compostos por Rossini.

Repertório

Stabat mater (Steffani) – com Cecilia Bartoli (2:11)

Stabat mater (Vivaldi) – com Michael Chance (3:20)

Stabat mater (Pergolesi) – com Anna Netrebko e Marianna Pizzolato (4:32)

Stabat mater (Rossini) – com Pilar Lorengar, Yvonne Minton, Luciano Pavarotti e Hans Sotin (8:29)

Quando corpus morietur (Rossini) – com Pilar Lorengar, Yvonne Minton, Luciano Pavarotti e Hans Sotin (4:07)

Amen, in sempiterna saecula (Rossini) – com Pilar Lorengar, Yvonne Minton, Luciano Pavarotti e Hans Sotin (5:34)

 

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição e sonorização: Filipe Di Castro