Francisco Alves pagava para ter seu nome na parceria com sambistas do Estácio. Era bom para todo mundo. Se não fosse isso, eles talvez ainda estivessem batucando ao pé do morro. Meu primeiro amor, de Bide e Marçal, mostra o cantor no auge do seu poderio vocal, em 1938.

A gravação foi selecionada no site Discografia Brasileira.

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro