Beethoven estreou a Nona Sinfonia em maio de 1824. Ele morreria em março de 1827. Neste período, o compositor se dedicou a escrever três quartetos de cordas encomendados pelo príncipe russo Nikolai Galitzin. E ainda fez mais dois, formando um notável conjunto. No segundo capítulo da série que celebra os 250 anos de Beethoven, Arthur Dapieve destaca que, nessa fase final, o artista não quis saber de maturidade e serenidade, e sim de se rebelar contra o bom gosto de seu tempo, contra a própria obra e contra a morte.

Repertório

Grosse Fugue, Opus 133 (13:26) – Hagen Quartet

Quarteto de cordas nº 12, Opus. 127. I: Allegro –  Maestoso (6:48) – Busch Quartet

Quarteto de cordas nº 15, Opus 132. V: Allegro appassionato (6:19) – Guarneri Quartet

Quarteto de cordas nº 14, Opus 131. I: Adagio ma non troppo e molto espressivo (6:19) – Emerson String Quartet

Quarteto de cordas nº 16, Opus 135. IV: Der schwer gefasste Entschuluss. Grave – Allegro – Grave ma non troppo trato – Allegro (7:46) – Quartetto Italiano

 

Prelúdios também é apresentado no último sábado de cada mês, às 20h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição: Filipe Di Castro