O IMS lançou em novembro uma nova edição de Diário da Tarde, jornal fictício criado por Paulo Mendes Campos. O Música é História lembra que o escritor era apaixonado pela música popular. Gostava muito dos autores de morros e subúrbios, e dizia serem "chatíssimos" os intelectuais que queriam compor como se fossem populares. Entre as canções que admirava estão "Caco velho" (Ary Barroso), "Cor de cinza" (Noel Rosa) e "Acertei no milhar" (Wilson Batista/Geraldo Pereira), além de sambas-enredo como "Exaltação a Tiradentes" (Mano Décio da Viola/Estanislau Silva/Penteado), do Império Serrano.

Apresentação: Luiz Fernando Vianna (com Tania Morales, da CBN)

Roteiro:  Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro