Autor de célebres letras românticas, Orestes Barbosa resolveu juntar amor com filosofia e história em Positivismo. Não foi muito fiel aos fatos ao citar Pilatos, Guillotin e Comte, mas fez uma letra engenhosa, que entregou para Noel Rosa. Este demorou a compor a melodia, motivo de irritação para Orestes, que passou a falar mal do Poeta da Vila. João Máximo conta que, ao saber, Noel criou a música e ainda acrescentou uma quadra ironizando o parceiro.

Edição e sonorização: Filipe Di Castro