Rapaz de bem, de Johnny Alf, é de 1956, dois anos antes de a bossa nova nascer, e funciona como anúncio perfeito da revolução que se aproximava. Gravada pela voz descompromissada do compositor, também ao piano, tem um clima de “ao vivo”, como se Alf estivesse em uma de suas apresentações na boate Plaza, de Copacabana. Costumavam estar na plateia João Gilberto, Tom Jobim e outros fãs. A música é uma das de Alf disponíveis no site Discografia Brasileira, do IMS.

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro