Sambas como Nega do cabelo duroDa cor do pecado e Mulata assanhada certamente não foram feitos com intenções racistas, mas contêm trechos que hoje podem ser considerados racistas. Essa mudança tem a ver com conquistas da sociedade, mas refletir sobre as letras dos sambas não impede que eles sejam ouvidos ainda com grande prazer. O tema está no novo episódio da série sobre os cem anos do samba.

Repertório

Nega do cabelo duro (Rubens Soares e David Nasser) – Anjos do Inferno

Boneca de piche (Ary Barroso e Luiz Iglésias) – Carmen Miranda e Almirante

Da cor do pecado (Bororó) – João Gilberto

Mulata assanhada (Ataulfo Alves) – Elza Soares e Wilson das Neves

Samba do crioulo doido (Sérgio Porto) – Quarteto em Cy e Sérgio Porto

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna (com Petria Chaves, da CBN)

Roteiro: Luiz Fernando Vianna

Edição e sonorização: Filipe Di Castro