A última etapa da Segunda Guerra Mundial está completando 75 anos. Hitler se suicidou em 30 de abril de 1945. Arthur Dapieve selecionou peças compostas durante, logo depois e até bem depois da guerra, mas é sempre ela a razão de ser das obras. Há muita dor, muito luto, mas também momentos de paz e de beleza.

Repertório

Strauss. Concerto para oboé e pequena orquestra em Ré maior. II: Andante (8:39) – Albrecht Mayer e a Sinfônica de Bamberg, regida por Jakub Hrusa

Tippett. A child of our time. Parte 1, V: I have no money for my bread (3:11) – Richard Cassily e a Sinfônica da BBC, regida por Colin Davis

Prokofiev. Sonata para piano nº 8. III: Vivace – Allegro ben marcato – Andantino – Vivace, come prima (10:00) – Denis Kozhukhin

Martinu. Memorial para Lídice (7:49) – Sinfônica de Bamberg, regida por Ingo Metzmacher

Gorécki. Sinfonia nº 3. II: Lento e largo – Tranquilissimo – Cantabilissimo – Dolcissimo – Legatissimo (8:18) – Beth Gibbons e Sinfônica da Rádio Nacional Polonesa, regida por Krzysztof Penderecki

Messiaen. Quarteto para o Final do Tempo. V: Louange à l’Éternité de Jesus (8:07) – Yvonne Loriod (piano), Christoph Poppen (violino), Manuel Fischer-Dieskau (violoncelo) e Wolfgang Meyer (clarinete)

 

Confira os programas “Música nos campos” e Banidos no Reich

 

Prelúdios também é apresentado no último sábado de cada mês, às 20h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição: Filipe Di Castro