É um Paulinho da Viola de repertório menos conhecido o que aparece em O amor é um segredo, o novo disco do cantor Zé Renato. São apenas nove sambas, todos de andamento lento, de temática amorosa nunca feliz, numa homenagem do cantor capixaba, 63 anos, duas dezenas de discos lançados, ao compositor carioca há tempos no radar de sua admiração. “Eu quis apresentar um lado B do Paulinho, igualmente feito de obras-primas”, diz Zé Renato.

Neste programa, gravado no estúdio da Rádio Batuta, o cantor apresenta ao violão oito faixas do CD e ainda outras músicas que foram aparecendo em meio à conversa com Joaquim Ferreira dos Santos. Ele conta como foi a gravação, em Recife, realizada em apenas dois dias e com rápidas aparições de apenas mais três músicos. “Canções de amor são necessárias em tempo de muita brutalidade”, diz.
Depois de homenagear Zé Keti, Sílvio Caldas, Noel Rosa, Chico Buarque e agora Paulinho, em discos exclusivos, Zé Renato insinua que o próximo ídolo a ser visitado pode ser Custódio Mesquita.
Todos os sambas do programa foram interpretados no estúdio da Batuta, com exceção de Cidade submersa.
Repertório
Só o tempo (Paulinho da Viola) – Zé Renato
Um caso perdido (Paulinho da Viola) – Zé Renato
Sofrer (Paulinho da Viola e Capinam) – Zé Renato
Lua (Paulinho da Viola) – Zé Renato
Meu violão (Paulinho da Viola) – Zé Renato
Coisas do mundo, minha nega (Paulinho da Viola) – Zé Renato
Foi demais (Paulinho da Viola e Mauro Duarte) – Zé Renato
Cidade submersa (Paulinho da Viola) – Zé Renato – faixa do CD
Vida (Paulinho da Viola e Elton Medeiros) – Zé Renato
Para um amor no Recife (Paulinho da Viola) – Zé Renato
Minhas madrugadas (Paulinho da Viola e Candeia) – Zé Renato
Roteiro e apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos
Edição: Filipe Di Castro
Vídeos: Laura Liuzzi
“Só o tempo”

“Vida”

“Sofrer”

“Lua”

“Meu violão”