O psicanalista Francisco Daudt, que está lançando pela editora Casa da Palavra o livro A natureza humana existe e como manda na gente, organizou para a Rádio Batuta uma lista de canções que ilustra o assunto. Ele diz que “o cancioneiro nacional está cheio de músicas que tratam da natureza humana, da força da genética sobre nós, sobre o que nos atrai, sobre como digerimos a consciência de que vamos morrer, de como processamos nossos lutos, como lidamos com nossos vícios etc.” As músicas listadas por Daudt falam destes temas, muitas como crônicas, outras como reflexão.

Música sobre a atração feminina por cafajestes: Fez bobagem (Assis Valente) – Aracy de Almeida

Música sobre o vício: O ébrio (Vicente Celestino) – Vicente Celestino

Música sobre a consciência da morte: Em tempo de adeus (Edu Lobo/Ruy Guerra) – Nara Leão

Música para a dor do luto: Coração de luto (Teixeirinha) – Teixeirinha

Música para se curtir uma paixão enlouquecida: Coração materno (Vicente Celestino) – Vicente Celestino

Música sobre idealização delirante da paixão: Beatriz (Edu Lobo/Chico Buarque) – Milton Nascimento

Música sobre a busca da perfeição utópica: Apesar de você (Chico Buarque) – Chico Buarque

Música sobre desejo homoerótico, mas sem dizer seu nome: Ilusão à toa (Johnny Alf) – Johnny Alf

Música sobre a realização do ódio: Atrás da porta (Francis Hime/Chico Buarque) – Elis Regina

 

Edição e sonorização: Filipe Di Castro