Em 2013, faz 448 que Estácio de Sá desembarcou entre os morros do Pão de Açúcar e Cara de Cão e lançou os fundamentos da cidade que havia sido incumbido de criar na Baía de Guanabara: São Sebastião do Rio de Janeiro. A missão tinha um motivo: marcar o território que era alvo de disputa entre portugueses e franceses. A cidade recebeu o nome de São Sebastião em homenagem ao rei de Portugal na época: D. Sebastião. Já “Rio de Janeiro” tem origem num engano dos portugueses, que – quando chegaram pela primeira vez à entrada da baía, em janeiro de 1502 – pensaram que se tratava da foz de um rio.Por encantar nativos e visitantes há mais de quatro séculos, a cidade recebeu muitas homenagens, tendo seus atributos exaltados em canções dos mais diversos ritmos – valsa, marcha, samba, fox, samba-canção, xote, rumba… Para comemorar, o aniversário do nosso Rio de Janeiro, eis uma seleção de músicas que explicam o porquê do merecido título de “Cidade Maravilhosa”.

Músicas

Valsa de uma cidade (Antônio Maria e Ismael Neto) – Lúcio Alves

Meu Rio de Janeiro (Nelson Trigueiro e Oscar V/Bellandi – Dick Farney com acompanhamento de José Maria de Abreu e orquestra

Rio de Janeiro (Joubert de Carvalho) – Francisco Alves

Adeus, Rio de Janeiro (Luiz Gonzaga e Zé Dantas) – Luiz Gonzaga

Rio de Janeiro (Claudionor Cruz e Pedro Caetano) – Quatro Ases e um Coringa

Cidade de São Sebastião (Marino Pinto e Paulo Soledade) – Anjos do Inferno

Rio de Janeiro (Ary Barroso) – Dalva de Oliveira com acompanhamento de Osvaldo Borba e orquestra

Cidade de São Sebastião (Wilson Batista e Nássara) – Francisco Alves com acompanhamento de Fon-Fon e orquestra

Cidade mulher (Noel Rosa) – Orlando Silva

Canto ao Rio de Janeiro (Armando Orefiche) – Armando Orefiche

Cidade Maravilhosa (André Filho) – Aurora Miranda e André Filho com acompanhamento da Orquestra Odeon

 

Pesquisa e programação musical: Carla Paes Leme

Sonorização e edição: Filipe Di Castro