Fred Astaire

Cartaz de "Rhapsody in blue" em 1924

Capítulo 4 – Rhapsody in blue

Em 1924, Gershwin apresentou sua primeira composição a misturar ambiciosamente música popular norte-americana e música de concerto: Rhapsody in blue. No mesmo ano, estreou um espetáculo recheado de boas canções: Lady, be good. Dois grandes sucessos. João Máximo apresenta na íntegra a peça para “jazz band e piano” e, ainda, Fred Astaire cantando e sapateando ao som do piano de Gershwin.

08.07.2017

George e Ira Gershwin

Capítulo 6 – O musical vai à guerra

Entre os fracassos e sucessos do final dos anos 1920, George e Ira Gershwin continuaram sem emplacar The man I love, mas lançaram para sempre I’ve a got a crush on you, How long has this been going on? e ‘S wonderful.

08.07.2017

Fred Astaire e Ginger Rogers

Capítulo 10 – O último ato em Hollywood

Precisando de dinheiro, Gershwin aceitou voltar a Hollywood. Encontrou em dois filmes um intérprete perfeito para suas canções: Fred Astaire. Um tumor no cérebro o impediu de concluir o terceiro. Morreu em 11 de julho de 1937, aos 38 anos.

08.07.2017

Gene Kelly e Leslie Caron em "Sinfonia de Paris"

Capítulo 11 – 80 anos depois

No último episódio da série, João Máximo mostra que a fama de Gershwin não parou de crescer após sua morte precoce. Filmes baseados em seus musicais, como Sinfonia em Paris (foto), remontagens destes musicais e muitos discos consagraram canções já conhecidas e revelaram outras. As peças clássicas também ganharam maior reconhecimento na posteridade.

08.07.2017

Vozes do menos

Vozes do menos

Eucanaã Ferraz selecionou cantores que, tendo ou não vozes pequenas, optam pela economia, eliminando clichês de interpretação e equilibrando os sentimentos à beira da fala. Fred Astaire, Nancy Sinatra e Ná Ozzetti são alguns deles.

03.05.2016