João Gilberto

Maria Bethânia. Foto de Jorge Bispo

Maria Bethânia, voz e memória

Em sua carreira, Maria Bethânia gravou muitas músicas que escutara no rádio quando era criança e adolescente. Dez interpretações estão nesta playlist.

17.06.2021

João Gilberto e Astrud em casa de Carlos Coqueijo, 10/9/1959

João Gilberto e Astrud em casa de Carlos Coqueijo, 10/9/1959

João Gilberto interpretou mais de 20 músicas na casa de seu amigo Carlos Coqueijo, em Salvador. As gravações vêm a público pela primeira vez. Treze das músicas ele nunca incluiria em discos. Algumas são cantadas por sua então mulher, Astrud Gilberto.

01.06.2021

João Gilberto e Vinicius de Moraes em show na Bahia, 29/10/1960

João Gilberto e Vinicius de Moraes em show na Bahia, 29/10/1960

João e Vinicius cantaram na festa de 46 anos da Associação Atlética da Bahia, a pedido de Carlos Coqueijo, então presidente do clube. Uma parte da apresentação foi gravada. Vinicius procura explicar o que é a bossa nova e, com João, mostra a então inédita Água de beber.

01.06.2021

João Gilberto em casa de Carlos Coqueijo, 28/11/1960

João Gilberto em casa de Carlos Coqueijo, 28/11/1960

Na fita gravada por seu amigo Coqueijo e inédita desde então, ouve-se João interpretando 11 músicas que ele ainda não havia lançado em disco. Seis permaneceriam inéditas em sua discografia.

01.06.2021

As dez mais de Antônio Maria

As dez mais de Antônio Maria

Antônio Maria compôs músicas que fizeram muito sucesso, inclusive no exterior, caso de Manhã de carnaval. O que mais criou foram sambas-canção, como Se eu morresse amanhã e Ninguém me ama.

16.03.2021

Nos bailes de Milton

Nos bailes de Milton

Milton Nascimento, que completa 78 anos em 2020, começou como crooner, cantando músicas de outros, e gravou várias composições alheias na carreira. Esta playlist apresenta as versões dele e anteriores à dele, com artistas como João Gilberto e Dolores Duran.

23.10.2020

Chega de saudade

Chega de saudade

Depois de anos sem gravar, João Gilberto reapareceu em 1958 com outro canto, outro violão, outro capítulo na história da música brasileira. Era a sua versão de Chega de saudade, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

12.10.2020

A vida de Sylvia Telles

A vida de Sylvia Telles

Cantora que viveu apenas 32 anos, Sylvia Telles ganha biografia que faz jus à sua condição de grande intérprete do samba-canção e da bossa nova. O autor, Gabriel Gonzaga, conta a Joaquim Ferreira dos Santos detalhes da vida e da carreira de Sylvinha, como seu namoro com João Gilberto.

02.10.2020