Monarco

Zeca Pagodinho

Zeca, Melodia, Leny, Fernando Brant…

O programa de Zuza Homem de Mello tem encontros especiais: Zeca Pagodinho interpreta um samba de Monarco; Luiz Melodia canta ao lado do piano de João Donato; Leny Andrade é acompanhada pelo pianista Cesar Camargo Mariano; Fernando Brant é lembrado em duas parcerias com Milton Nascimento.

14.02.2020

Foto de Lívio Campos

Nana, Bethânia, Caetano, Chico, Milton, Bosco…

Nomes do primeiro time da música popular estão na seleção de Zuza Homem de Mello. Duas faixas escolhidas são do CD Nana Caymmi canta Tito Madi, lançado em 2019.

11.10.2019

Mônica Salmaso

Violas e vozes

Na seleção de Zuza Homem de Mello, há violeiros em faixas instrumentais e acompanhando Mônica Salmaso (foto) e Vânia Bastos. Outras vozes marcam presença, como as de Francis Hime, Xênia França e Monarco.

30.08.2019

Zé Ramalho

Zé Ramalho, Luiz Melodia, Beth Carvalho, Boca Livre…

Zé Ramalho, com o seu Galope rasante, está na lista de Zuza Homem de Mello. O cantor e compositor completa 70 anos de vida e 40 de carreira em 2019. Luiz Melodia e Beth Carvalho são reverenciados no programa, que tem os novos CDs de Boca Livre e Marcos Sacramento.

05.07.2019

Adriana Calcanhotto

Destaques de 2018

O Música é História realiza seu último programa após cinco anos e meio. E destaca alguns dos artistas que fizeram bons lançamentos em 2018, como Adriana Calcanhotto, Elza Soares, Gilberto Gil e Monarco.

30.12.2018

Monarco

Monarco

Lançando o CD Monarco de todos os tempos aos 85 anos, o cantor e compositor recorda sua vida de trabalho duro, seu amor pela Portela e como criou seus sambas mais conhecidos. Todas as músicas do programa foram interpretadas no estúdio da Batuta por ele, ao lado do filho Mauro Diniz.

12.10.2018

Noel e os morros

Noel e os morros

Noel Rosa aproximou “asfalto” e “morro”, como se dizia na sua época. Foi parceiro e amigo de Ismael Silva, Cartola, Heitor dos Prazeres e outros, reforçando a qualidade e o alcance das criações dos compositores populares.

23.04.2017

Samba aberto para balanços

Samba aberto para balanços

A série sobre os cem anos do samba termina com novas e bem-vindas experiências no gênero. São os casos de Elza Soares com um núcleo de músicos paulistas ou de Moyseis Marques misturando ritmos. E há quem esbanje talento ao reverenciar a tradição, como Tuco Pellegrino. O importante é que o samba não envelhece.

01.01.2017