Rio de Janeiro

Favela da Rocinha

Rio, capital do sangue quente

O Rio de Janeiro faz aniversário em 1º de março num momento de convulsão, sob intervenção militar. É o “Rio 40 graus”, “a capital do sangue quente, do melhor e do pior do Brasil”. Músicas sobre intolerância, medo e nostalgia na cidade também estão no programa.

25.02.2018

O carnaval em J. Carlos

O carnaval em J. Carlos

O sisudo J. Carlos foi um apaixonado e brilhante cronista visual do carnaval carioca da primeira metade do século XX. Grande conhecedor de sua obra, Cássio Loredano ilumina a relação do artista com a festa e seleciona músicas citadas nas ilustrações.

06.03.2017

Foto de Gui Paganini e arte de Giovanni Bianco/Divulgação

O sangue bom e novo de Fernanda Abreu

O novo disco de Fernanda Abreu, a garota carioca que mantém aos 50 anos o suingue e o sangue, é uma esperança para tirar o funk da mesmice de sua obsessão sexual, aposta Joaquim Ferreira dos Santos.

04.11.2016

Os Arcos - A Lapa inédita de João Bosco e Aldir Blanc

Os Arcos – A Lapa inédita de João Bosco e Aldir Blanc

Durante 43 anos, a gravação de uma suíte composta por João Bosco e Aldir Blanc e ambientada na Lapa carioca permaneceu inédita. A Batuta apresenta a ambiciosa “Os Arcos – Paixão e morte” e conta, com depoimentos de João e Aldir, como a suíte nasceu e foi deixada de lado.

13.08.2016

Outro lado da Cidade Maravilhosa

Outro lado da Cidade Maravilhosa

Para marcar o aniversário do Rio de Janeiro, em 1º de março, Joaquim Ferreira dos Santos montou uma playlist com toques de lado B, incluindo canções sobre o subúrbio, raps e contribuições do baiano Raul Seixas e do paraibano Jackson do Pandeiro.

01.03.2016

O som da zika

O som da zika

O Rio completou 400 anos em 1965 sem zika e com samba-exaltação de Billy Blanco na voz de Wilson Simonal. Em sua nova crônica, Joaquim Ferreira dos Santos aponta como a cidade mudou no futebol, na alegria e na sonoridade.

26.02.2016

Milhaud e o Brasil

Milhaud e o Brasil

O compositor Darius Milhaud morou no Rio de Janeiro entre 1917 e 1919 e voltou para a França fascinado pela música brasileira. Sua obra mais famosa, “O boi no telhado”, e a suíte “Saudades do Brasil” são provas que Arthur Dapieve comenta em seu programa, agora intitulado “Prelúdios”.

30.01.2016

Que mal há, Praça Mauá?

Que mal há, Praça Mauá?

A renovação da Praça Mauá, no centro do Rio, ilumina um lugar repleto de histórias e que abrigou a Rádio Nacional nos tempos áureos. Em sua nova crônica, Joaquim Ferreira dos Santos apela à música brasileira que dê à Mauá o tratamento entusiasmado que já dedicou a outras praças.

07.12.2015