Vinicius de Moraes

As dez mais de Antônio Maria

As dez mais de Antônio Maria

Antônio Maria compôs músicas que fizeram muito sucesso, inclusive no exterior, caso de Manhã de carnaval. O que mais criou foram sambas-canção, como Se eu morresse amanhã e Ninguém me ama.

16.03.2021

Antônio Maria - Muito além do samba-canção

Antônio Maria – Muito além do samba-canção

Quase sempre associado às canções tristes, o autor de Ninguém me ama também fez frevo, mambo, toada, marchinha, dobrado e outros gêneros. É o que Joaquim Ferreira dos Santos, biógrafo de Antônio Maria, mostra nesta celebração do centenário do compositor.

11.03.2021

Foto de Dieter Hopf

Baden Powell, o compositor

Mesmo estando entre os maiores violonistas do mundo, Baden Powell disse certa vez que preferia ser reconhecido como compositor. Reinaldo Figueiredo selecionou faixas para mostrar que as músicas do artista se tornaram standards do jazz brasileiro.

15.10.2020

Chega de saudade

Chega de saudade

Depois de anos sem gravar, João Gilberto reapareceu em 1958 com outro canto, outro violão, outro capítulo na história da música brasileira. Era a sua versão de Chega de saudade, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

12.10.2020

Dulce Nunes em lanchonete na Praia Vermelha, Rio, na década de 1950. Foto de José Medeiros/ Acervo IMS

Dulce Nunes

A cantora e compositora Dulce Nunes, que morreu de Covid-19 em 4 de junho, teve uma carreira curta, mas significativa. Foi, por exemplo, a intérprete de Pobre menina rica, deixando Elis Regina para trás, e parceira musical de Vinicius, Millôr e Drummond. A playlist reúne dez gravações dela.

12.06.2020

Lenine

Pelo telefone: Lenine pede ‘A felicidade’

Ao buscar uma canção no site Discografia Brasileira para a série “Pelo telefone”, Lenine fez uma escolha passional, segundo explica na apresentação: A felicidade, de Tom e Vinicius. Ele destaca a bela e hoje pouco lembrada voz de Agostinho dos Santos.

11.05.2020

João Gilberto. Foto de Francisco Pereira

Episódio 10 – ‘Chega de saudade’, a glória final dos 78 rpm

A história dos discos em 78 rotações teve seu último grande momento em agosto de 1958, quando foi lançada a versão de João Gilberto para “Chega de saudade”. “É o acontecimento mais importante da música brasileira em todos os tempos”, afirma Joyce Moreno neste episódio.

03.02.2020

Secos e Molhados

João Gilberto raro, Tom solo, Secos & Molhados, Mariana Baltar…

O Secos & Molhados está na seleção de Zuza Homem de Mello com a bela canção Fala. O programa também tem João Gilberto cantando Lupicínio Rodrigues num registro nunca lançado em disco; Tom Jobim sozinho ao piano; e Mariana Baltar interpretando Aldir Blanc.

24.01.2020