Wilson Moreira

Ayrton Montarroyos

Mario Reis canta Tom, Dussek canta Lamartine, Ayrton Montarroyos canta Caymmi…

Mario Reis interpretando um samba obscuro de Tom Jobim é um dos destaques da seleção de Zuza Homem de Mello. A versão voz-e-piano de Eduardo Dussek para Serra da Boa da Esperança e o jovem Ayrton Montarroyos cantando Sodade matadera também estão no programa.

17.05.2019

Nei Lopes

Geração de 1942/Nei Lopes – Senhora liberdade

Reconhecido hoje como um dos principais letristas brasileiros, Nei Lopes teve a primeira fase de sua carreira marcada pela parceria com Wilson Moreira, com quem fez Senhora liberdade, Coisa da antiga e outros sambas.

10.12.2017

Arlindo Cruz

Para todos os compositores

São muitas as músicas em que um compositor homenageia outros. Em 7 de outubro, Dia do Compositor, Joaquim Ferreira dos Santos selecionou 11 exemplos, entre eles Paratodos, de Chico Buarque, e Sambista perfeito, de Arlindo Cruz (foto) e Nei Lopes.

07.10.2017

Wilson Moreira, 80

Wilson Moreira, 80

A Batuta selecionou peças da rica obra de Wilson Moreira para celebrar seus 80 anos. Há partido-alto, jongo, samba-enredo, toada e, sempre, a exaltação da cultura afro-brasileira. Estão na lista parcerias com Nei Lopes e gravações de Clara Nunes, Zeca Pagodinho e Roberto Ribeiro.

12.12.2016

cx6-152pix016

Sambas d’África

A história do samba que nasceu no Rio e se tornou nacional começa, na verdade, nos africanos escravizados e seus cantos no Vale do Paraíba e no Recôncavo Baiano. Entre os personagens que mantiveram essa memória acesa estão Pixinguinha, João da Baiana e Clementina de Jesus.

24.07.2016

Sons do samba

Sons do samba

A percussão que se ouvia nas rodas de samba nos primórdios do gênero demorou a entrar nos estúdios. Derrubou preconceitos, ganhou força e passou a ocupar papel central na sonoridade dos discos. O programa traça um panorama dessa história.

13.06.2016

Pixinguinha e Mário de Andrade

Pixinguinha e Mário de Andrade

Pixinguinha foi informante de Mário de Andrade para o capítulo 7 do “Macunaíma” e para ensaios sobre música. O escritor adorava criações do compositor como “Urubatã” e “Patrão, prenda seu gado”. O programa ilumina as relações entre vidas e obras desses dois brasileiros fundamentais.

07.05.2016