Roberto Menescal

Estúdio Batuta

Roberto Menescal

Em 2017, quando completou 80 anos, Roberto Menescal lançou três CDs. No estúdio da Batuta, ele conversou sobre os projetos, disse que a bossa nova significou "a passagem da infelicidade para a felicidade" e recordou Ronaldo Bôscoli, Elis Regina e João Gilberto, além de cantar Rio.

Rio utópico

Seleções

Rio utópico

A exposição #RioUtópico, em cartaz no IMS Rio, faz um mapeamento fotográfico de localidades do Rio de Janeiro cujos nomes sugerem situações utópicas. A Batuta selecionou músicas que também exploram palavras que batizam áreas da cidade, como Morro dos Prazeres e Cidade de Deus.

Sambas de verão

Música é História

Sambas de verão

A bossa nova cantou o mar, a praia e fez dessa paisagem o cenário dos sonhos de um país melhor. As canções, pelo menos, não morreram. O segundo programa sobre música e verão toca Tom Jobim, João Gilberto, Marcos Valle, Sylvia Telles e outros.

Literatura e conflitos – Os sertões

Literatura em voz alta

Literatura e conflitos – Os sertões

Os sertões, de Euclides da Cunha, "não é o retrato da Guerra de Canudos, mas o retrato da consciência dilacerada do seu próprio autor", destaca a ensaísta Walnice Nogueira Galvão. Sua aula abriu o curso Literatura e conflitos, relacionado à exposição Conflitos.

Ponto final

Ouve essa

Ponto final

Dick Farney transformou Ponto final num dos maiores sucessos de sua carreira. Sua primeira gravação do samba-canção de José Maria de Abreu e Jair Amorim aconteceu em 1948.

O que marcou 2017

Casa do Choro

O que marcou 2017

O ano teve datas importantes (120 anos de Pixinguinha, 100 anos de Severino Araújo, 80 anos de Baden Powell e Joel Nascimento etc.) e novos CDs de grande qualidade, como os de Marcelo Caldi, Rogério Caetano (na foto, com Hamilton de Holanda) e do duo Alessandro Penezzi/Yamandu Costa.