• John Field

    Prelúdios

    Os noturnos

    Gênero criado pelo irlandês John Field (imagem), o noturno ganhou este nome por causa de seu formato livre, que se assemelha a divagações. Chopin é o nome maior, mas Arthur Dapieve seleciona outros compositores importantes, incluindo os brasileiros Ernesto Nazareth e Radamés Gnattali.

  • Playlist do Zuza

    João Gilberto, Elis Regina, Paulinho da Viola, Núbia Lafayette, Pélico…

    Zuza Homem de Mello, nome consagrado quando o assunto é música brasileira, volta a ter um programa de rádio. Ele seleciona gravações de acordo com seu gosto e seu profundo conhecimento, reunindo interpretações consagradas e surpreendentes.

  • Jackson do Pandeiro

    Crônicas do Joaquim

    A carne é fraca, mas dá música

    A carne também foi problema em 1959, quando o sucesso da marchinha Boi da cara preta, com Jackson do Pandeiro, fez parte da população entrar na brincadeira preconceituosa e acreditar que comer alimento resultava em perda da masculinidade para os homens. Joaquim Ferreira dos Santos ressalta que a canção integra uma corrente gastronômica da música brasileira.

  • Caco Velho

    Ouve essa

    Nega

    O gaúcho Caco Velho foi um cantor de sambas malandros, que rodou pelo mundo, emplacou um sucesso na voz da rainha do fado Amália Rodrigues e sempre voltou para São Paulo. A divertida Nega é prova de seu estilo.

Lira Neto e a história do samba

Estúdio Batuta

Lira Neto e a história do samba

Lira Neto, autor de Uma história do samba, detalha as origens do gênero em entrevista a Joaquim Ferreira dos Santos. Dos antecedentes no século XIX à consolidação no início dos anos 1930, o escritor traça o panorama social e cultural que formou o samba. Ele desmonta clichês e defende que os fatos são bem mais complexos do que os clichês que vigoraram por décadas.

As vozes femininas de Chico Buarque

Música é História

As vozes femininas de Chico Buarque

Nenhum compositor escreveu tão marcantes canções sobre o universo feminino do que Chico Buarque. No início da carreira, algumas de suas personagens, como a de Com açúcar, com afeto, ainda eram subjugadas pelos homens. Depois, elas se tornaram fortes, decididas, até cruéis, mas sem deixar de viver e sofrer de amor.

Pra lá de La La Land

A volta ao jazz em 80 mundos

Pra lá de La La Land

"La La Land" reforça os piores clichês sobre o jazz, afirma Reinaldo Figueiredo. A busca do pianista do filme por um "jazz puro" é uma grande bobagem, pois mutações e misturas são a razão de ser do gênero. O programa dá exemplos de que o jazz continua em transformação.

Choros de hoje

Casa do Choro

Choros de hoje

Em sua estreia, o Casa do Choro apresenta um primeiro panorama da intensa produção contemporânea do gênero. Rafael Mallmith, Luis Barcelos (juntos na foto), Elias Barboza e o Trio Julio estão entre os destaques.

Mulheres: machismo nacional e musical

Música é História

Mulheres: machismo nacional e musical

O infeliz discurso de Michel Temer no Dia Internacional da Mulher encontra eco na tradição da música brasileira, na qual não faltam canções machistas: de "Ai, que saudades da Amélia" a exemplos recentes.

Caixa alta em Paris

Ouve essa

Caixa alta em Paris

O programa semanal Ouve Essa, destinado a pescar pérolas do acervo musical do IMS, começa com "Caixa alta em Paris", exemplar do humor e do balanço de Jorge Veiga. O cantor era conhecido como "o caricaturista do samba". A gravação é de 1962.