Aracy de Almeida

Capítulo 1 – Palmeira do Mangue – Encantado, Centro, Lapa e Vila Isabel

Aracy de Almeida, na infância, gostava de andar e brincar com meninos. Na juventude, passou a andar com Noel Rosa, de quem se tornou a principal intérprete, e com boêmios e malandros. Os primeiros anos da carreira da cantora abrem a série.

10.10.2018

Aracy de Almeida

Capítulo 2 – Vai, malandra – De sucesso em sucesso, saindo do miserê

Aracy de Almeida se tornou, já aos 22 anos, uma das maiores cantoras do país. O segundo episódio destaca músicas avançadas para a época e, ainda, o sucesso Tenha pena de mim e o samba-canção que ela registrou após a morte do amigo Noel Rosa: Último desejo.

10.10.2018

Aracy de Almeida e Carmen Miranda

Capítulo 3 – O samba em pessoa – Aracy, estrela da Victor

Aracy teve desentendimentos com Carmen Miranda e Ary Barroso, embora admirasse ambos. Seu depoimento sobre Ary é muito divertido. Como principal nome feminino da gravadora Victor, ela gravou Rapaz folgado, de Noel Rosa, e outros sambas.

10.10.2018

Aracy de Almeida

Capítulo 4 – Saia do meu caminho – Telecoteco e dor de cotovelo

No repertório de Aracy sempre predominaram sambas com muito balanço, como Fez bobagem e Coberto de ouro, gravados em 1942. Mas também havia a tristeza dos sambas-canção, caso de Saia do meu caminho, um de seus maiores sucessos.

10.10.2018

Aracy de Almeida e Vinicius de Moraes

Capítulo 5 – Trabalha, trabalha, mulher! – Uma artista incansável e sem parangolés

A turma de amigos de Aracy é outra na segunda metade dos anos 1940: Antonio Maria, Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes… E crescem no repertório as canções tristes: sambas-canção e até músicas carnavalescas, como o sucesso Não me diga adeus.

10.10.2018

Aracy de Almeida

Capítulo 6 – Em plena folia – Aracy, a marchinha em pessoa

“O Samba em Pessoa”, como Aracy de Almeida era conhecida, também gravou várias marchinhas carnavalescas. Algumas delas são muito divertidas, incluindo os sucessos Passarinho do relógio e Passo do canguru.

10.10.2018

Aracy de Almeida e Wilson Baptista

Capítulo 7 – Sambei 24 horas – Aracy e Wilson Baptista: duro com duro faz bom muro

Não foi Noel Rosa, e sim Wilson Baptista o compositor mais gravado por Aracy. Os sambas dele, cheios de bossa e humor, tinham nela uma intérprete perfeita, como mostram as gravações de Ganha-se pouco mas é divertido, Louco (Ela é seu mundo) e outros.

10.10.2018

Aracy de Almeida e Noel Rosa

Capítulo 8 – Madrugadas em Copa – Aracy revive Noel Rosa nas boates da Zona Sul carioca

Noel Rosa estava esquecido quando Aracy começou a cantar sambas do compositor na boate Vogue, em Copacabana. O sucesso chegou aos discos, surgiram inéditas como Três apitos e a dobradinha Aracy-Noel se consagrou. Ela ainda se tornou amiga e intérprete de Antonio Maria, Dorival Caymmi e Vinicius de Moraes.

10.10.2018