As caravanas, faixa que encerra o novo CD de Chico Buarque, é uma canção “poderosa”, segundo diz Guilherme Wisnik em sua coluna “Espaço em obra” (Rádio USP). O compositor reforça não ser mais o amado autor de baladas, e sim um criador de músicas estranhas, desafiadoras para o seu público, parte dele afastando-se por causa da polarização política.