Mário Álvares é o pai do cavaquinho brasileiro. Recentemente, a Casa do Choro recebeu um caderno datado de 1908 que traz não apenas novas músicas de Mário Álvares, mas atualiza dados biográficos. O mais significativo é que ele não deve ter nascido em 1876, como se pensava, mas 32 anos antes, em 1844.

O programa reúne gravações de composições de Álvares, feitas por, entre outros, Pixinguinha (seu aluno) e Jacob do Bandolim. E apresenta a primeira versão de uma criação até então desconhecida: Polka em sol.

Todas as composições são de Mário Álvares.

Repertório

Roceira (Segura a mão) – choro, com Pixinguinha e Benedito Lacerda (1949/50)

Teu beijo (Hilda) – Orquestra Pixinguinha na Pauta, regência de Pedro Aragão (2010)

Sertanejo – tango, gravação do programa O Pessoal da Velha Guarda (1947-52), Acervo Instituto Jacob do Bandolim

Helena – valsa, gravação do programa O Pessoal da Velha Guarda (1947-52), Acervo Instituto Jacob do Bandolim

Julieta – valsa, com Jacob do Bandolim (Rádio MEC, fim da década de 50)

Adelina – valsa, com Déo Rian e regional (1996)

Falando às flores – schottisch, pessoal do Princípios do Choro (2002)

Conceição – polca, pessoal do Princípios do Choro (2002)

Olegária – valsa, pessoal do Princípios do Choro (2002)

Sinhá – polca, pessoal do Princípios do Choro (2002)

Assim mesmo – polca, com Gustavo Cândido e cia. (2014)

Polka em sol – primeira gravação, com Paulo Aragão e Marcílio Lopes (2018)

 

Casa do Choro, parceria com a instituição de mesmo nome, tem edições mensais, entrando no site da Batuta na segunda segunda-feira do mês. No mesmo dia, às 22h, vai ao ar na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Pedro Paulo Malta

Roteiro: Pedro Paulo Malta e Paulo Aragão

Edição: Alexandre Hang