Cem anos após sua morte, ocorrida em 25 de março de 1918, Claude Debussy continua sendo um compositor  simultaneamente fácil e difícil, como aponta Arthur Dapieve neste programa em homenagem ao francês que influenciou toda a música moderna, inclusive o jazz. Fácil, porque suas melodias cativam à primeira audição. Difícil, porque nunca oferece ao ouvinte uma estrutura à qual se agarrar. O repertório selecionado por Dapieve apresenta vários formatos, do piano solo às filarmônicas. E termina com o próprio Debussy interpretando uma peça sua, numa gravação de 1913 recuperada pelo sistema Welte-Mignon.

Repertório – Todas as composições são de Debussy.

Reflets dans l’eau – Seong-Jin Cho – 5:44

Prélude à l’aprés-midi d’un faune – Orquestra Nacional de Lyon, regida por Jun Märkl – 10:12

Quarteto de Cordas. III. Andantino, doucement expressif – Quarteto Ébène – 8:18

La mer: I. De l’aube à midi sur la mer – Filarmônica de Berlim, regida por Simon Rattle – 9:14

Pelléas et Mélisande: “Mes longs cheveux” – Maria Ewing, François Le Roux e a Filarmônica de Viena, regida por Claudio Abbado – 6:00

Clair de Lune – Orquestra do Ulster e Yan Pascal Tortelier – 4:13

La cathédrale engloutie – Claude Debussy – 5:01

 

Prelúdios é apresentado no último sábado de cada mês, às 20h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição: Filipe Di Castro