"Por qué no te callas, Gol de Cabeça?", brinca Francisco Bosco no início do último programa da série dedicada à Copa das Confederações. As críticas feitas por ele, Nuno Ramos, Marcos Alvito e Fernando Barros e Silva ao longo da competição ficaram pequenas diante da grande vitória do Brasil sobre a Espanha por 3 a 0. Nuno, que sempre foi o mais confiante da mesa e já ressaltara como a seleção estava "absurdamente ofensiva", destaca a capacidade que o time de Felipão mostrou na final para cercar os adversários e roubar a bola. Os jogadores pareciam, lembra ele, aquelas meninas que não tinham intimidade com futebol e jogavam correndo todas em direção à bola. "Estamos nos inventando", comemora Nuno essa novidade. Além das brincadeiras, os participantes ainda demonstram preocupações com a seleção, entre elas a técnica de Hulk e o poder de marcação de Marcelo. O programa termina falando de política, já que a Copa das Confederações ocorreu em meio às manifestações de rua que estão mudando o país. A apresentação é de Luiz Fernando Vianna, coordenador de internet do IMS.