Joyce Moreno completa 70 anos em 31 de janeiro orgulhosa da sua idade e planejando comemorações distantes do óbvio. Ela regravará seu primeiro disco, de 1968, dizendo-se mais madura para interpretar um repertório que cantou e compôs aos 20, quando ainda era uma garota de Ipanema e Copacabana.

Também lançará Fotografei você na minha Rolleyflex remix, edição revisada e ampliada do livro de crônicas (com histórias de músicos e músicas) que publicou em 1997. E verá sair em CD o show que realizou em 2012 com Alfredo Del-Penho, no Instituto Moreira Salles, interpretando canções de Sidney Miller.

Autora de composições marcantes sobre mulheres (Feminina, Essa mulher, Da cor brasileira), ela defende um “feminismo à brasileira”, que incorpore características nossas, evitando um “colonialismo cultural”. Afirma, no início da entrevista a Luiz Fernando Vianna, que sempre acreditou em ideias como as de Darcy Ribeiro, que via o Brasil capaz de criar uma civilização diferente. Mas ressalta que são “caso de polícia” muitas situações enfrentadas por mulheres.

Ela assegura não perder a esperança no Rio de Janeiro e no país, mas diz que “o Brasil precisa merecer o Brasil”. E isso passa por reconhecer o valor da nossa música. Garoto, Dorival Caymmi e Tom Jobim estão entre os compositores homenageados nas canções que tocam no programa. E, no estúdio da Batuta, ela interpretou Mistérios, uma de suas composições mais célebres.

Repertório

Feminina (Joyce Moreno) – Joyce Moreno

Me disseram (Joyce Moreno) – Joyce Moreno

Mistérios (Maurício Maestro e Joyce) – Joyce Moreno no estúdio da Batuta

Garoto (Joyce Moreno) – Joyce Moreno

Rio meu (Joyce Moreno) – Joyce Moreno

Mingus, Miles & Coltrane (Joyce Moreno) – Joyce Moreno

Caymmi visita Tom (Joyce Moreno) – Joyce Moreno

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna

Edição: Filipe Di Castro

 

Veja Joyce Moreno cantando Mistérios.