Um triângulo amoroso entre um veterano jornalista inglês, um jovem americano idealista e uma bela vietnamita, no qual motivações psicológicas tornam-se inseparáveis de elementos passionais e ideológicos. O pano de fundo histórico e político, que traz a Guerra da Indochina, nos anos 1950, sendo refletido de modo direto nos dilemas e contradições íntimas dos personagens. A alta velocidade e o estilo cinematográfico de O americano tranquilo, uma narrativa de espionagem criada pelo escritor inglês Graham Greene, não impediu que nele fossem tratados temas de maior profundidade, como o reconhecimento do ponto de vista do Outro e os perigos de uma fé cega, inabalável, sem qualquer resquício de dúvida. São esses alguns dos pontos comentados com argúcia pelo psicanalista Jurandir Freire Costa no seu depoimento para a série Prefácios.

 

 

Apresentação: Paulo da Costa e Silva
Produção: Paulo da Costa e Silva
Edição: Filipe Di Castro