Em sua estreia, Zélia Duncan comenta o estilo de Francisco Alves, consagrado na primeira metade do século XX como O Rei da Voz. "A potência de sua voz a serviço de uma interpretação se fazendo mais suave ou mais profunda de acordo com o que a música pedia. Isso é o verdadeiro intérprete", destaca a cantora, que apresenta números da primeira fase do artista, na década de 1920, inclusive ao lado da hoje esquecida Rosa Negra, estrela do teatro de revista. Também ouve-se o clássico samba "Se você jurar" (gravado ao lado de Mario Reis), um dos marcos inaugurais do samba tal qual conhecemos hoje, não mais amaxixado. E, para encerrar, a valsa "Eu sonhei que tu estavas tão linda", um de seus maiores sucessos.

Edição e sonorização: Filipe Di Castro