Os ciclos de conferências organizados, desde a década de 1980, por Adauto Novaes (e sempre transformados em livros) têm sido fundamentais para gerações de intelectuais e estudantes. O 37º, intitulado Dissonâncias do progresso, acontece entre 19 de setembro e 23 de outubro no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte e em Brasília. Nesta entrevista a Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas, editores da serrote (revista de ensaios do IMS), ele afirma que estamos vivendo “entre dois mundos”, na passagem de uma civilização para outra. E esta é conduzida pela ciência e pela revolução digital, “no vazio do pensamento”. “A gente não sabe onde está nem para onde vai”, diz ele, que destaca a necessidade de os intelectuais acompanharem a velocidade dos acontecimentos para interferir nos grandes debates do presente.

 

Apresentação: Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas

Edição: Filipe Di Castro