Este é o primeiro de dois episódios sobre orquestras populares brasileiras. A seleção dos conjuntos que têm os sopros como destaque viaja até 1896, quando Anacleto de Medeiros começou a comandar a Banda do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro; passa pelas formações que surgiram em meados do século XX para fazer história: Tabajara e Pessoal da Velha Guarda; e chega a orquestras mais recentes, como Mantiqueira, Rancho Flor do Sereno, Furiosa Portátil e Pixinguinha na Pauta. Em comum nas escolhas de Paulo Aragão e Pedro Paulo Malta, música de primeira para fazer dançar.

Repertório

Segura ele (Pixinguinha) – Banda Mantiqueira (6:36)

Um chorinho em Montevidéu (Severino Araújo) – Orquestra Tabajara (3:00)

Um chorinho em Aldeia (Severino Araújo) – Orquestra Tabajara (3:00)

Cabeça de porco (Anacleto de Medeiros) – Banda do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (3:14)

Ameno Resedá (Ernesto Nazareth) – Orquestra do Rancho Flor do Sereno (3:46)

Bate-papo (Radamés Gnattali) – Orquestra Furiosa Portátil (3:20)

Bangu (Maurício Carrilho) – Orquestra Furiosa Portátil (2:31)

Candango (Pedro Paes) – Orquestra Furiosa Portátil (3:40)

Subindo ao céu (Aristides Bordes) – Orquestra do Pessoal da Velha Guarda (3:27)

Passinho de moça (Henriquinho Dourado) – Orquestra Pixinguinha na Pauta (4:27)

 

O Casa do Choro, parceria com a instituição de mesmo nome, tem edições mensais, entrando no site da Batuta na segunda segunda-feira do mês. No mesmo dia, às 22h, vai ao ar na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Pedro Paulo Malta

Roteiro: Pedro Paulo Malta e Paulo Aragão

Edição: Alexandre Hang