Joaquim Ferreira dos Santos foi o repórter escalado para ir ao estúdio onde Paulinho da Viola começaria a gravar, em 1982, o disco A toda hora rola uma estória. Ao chegar, descobriu que só havia uma canção pronta. E descobriu, também, que o sambista não estava nada preocupado. Com a sabedoria de quem põe a vida em primeiro lugar, Paulinho usou o prazo como musa inspiradora e, em apenas um mês, compôs um punhado de belas músicas. Na verdade, como Joaquim recorda nesta crônica, as músicas já estavam contidas nas vivências de um artista sem pressa, apenas esperando para vir à tona.

As crônicas de Joaquim Ferreira dos Santos também podem ser ouvidas no canal de podcasts Rádio Batuta. Baixe o app na loja de sua preferência (como App Store e Google Play).

Texto e locução: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro